Data do Evento: 15/06/2022 21:30 - 23:00 Export event
Nova Rota da Seda: Património, turismo, economia
/ Categorias: Ciclo Mandarim

Nova Rota da Seda: Património, turismo, economia

Ciclo Mandarim: Literatura, Património e tradições

No próximo dia 15 de junho, pelas 21h30, realiza-se o 3º momento do Ciclo de Mandarim com a realização da conferência 
Nova Rota da Seda: Património, turismo, economia” 

A conferência pretende proporcionar uma abordagem do posicionamento estratégico da China no mundo na sua dimensão socioeconómica e política, tendo por base a revitalização dos antigos trajetos terrestres e marítimos da Rota da Seda, pelo orador convidado, Jorge Tavares da Silva, Professor de Ciência Política na Universidade de Aveiro e na Universidade de Coimbra.
Nesta sessão, contamos ainda com a visão e experiência de S. João da Madeira em termos de práticas associadas aos circuitos industriais e lugares de memória, como exemplos das novas oportunidades de desenvolvimento económico dos territórios, através de rotas turísticas.

 

 

 

» A Iniciativa Chinesa “Uma Faixa, Uma Rota”: Novos Rumos, Novas Oportunidades.
Orador convidado: Jorge Tavares da Silva (Universidade de Aveiro)

A iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota” (em inglês BRI), tem como objetivo primordial a revitalização dos antigos trajetos terrestres e marítimos da Rota da Seda que ligavam a China à Europa. Pretende-se que estes rumos de intercâmbio sirvam para a intensificação das trocas, conectividade entre os povos e ganhos mútuos. Portugal é um dos países que pode beneficiar com esta dinâmica, particularmente com a versão da Rota da Seda Marítima do Século XXI, trazendo novas oportunidades para o domínio público e privado. Assim ficou estipulado no memorando de entendimento sino-português, assinado em 2018, aquando da visita do presidente Xi Jinping a Portugal. Do passado para o presente, o exercício que se propõe fazer é apurar as múltiplas oportunidades que a BRI pode trazer para as terras de ligação a esta iniciativa chinesa.

Jorge Tavares da Silva
Professor Auxiliar Convidado de Ciência Política e Relações Internacionais no de Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território (DCSPT) da Universidade de Aveiro (UA) e na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Investigador associado da Unidade de Investigação em Governança, Competitividade e Políticas Públicas (GOVCOPP) da UA e membro-fundador do Observatório da China. Auditor do Curso de Defesa Nacional (2013-2014), membro da European Association for Chinese Studies (EACS), da Association of Chinese Political Studies (ACPS) e da Associação Portuguesa de Ciência Política (APCP). Membro do Conselho Académico da Revista de Análise e Estudos Internacionais Tempo Exterior (Espanha). Doutorado em Relações Internacionais pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, na área da Política Internacional e Resolução de Conflitos, e licenciado em Comércio Internacional pelo ISCIA. As suas áreas de interesse centram-se nas dimensões socioeconómicas e políticas da China contemporânea, particularmente as relações sino-europeias. É autor de múltiplos artigos em revistas internacionais, livros e capítulos de livros sobre as áreas anteriormente referenciadas. Comenta com regularidade assuntos da realidade internacional na comunicação social.

O papel dos circuitos turísticos no desenvolvimento dos lugares de memória de natureza comercial.
Turismo Industrial: Entre memórias e desenvolvimento económico.

Oradora convidada: Alexandra Alves (Turismo Industriual, Câmara Municipal de S. João da Madeira)

A natureza das trocas comercias e os lugares de memória do passado, destacam-se, hoje, em circuitos de Turismo Industrial em vários territórios. Esta riqueza cultural e industrial permite-nos compreender melhor os territórios e, por sua vez, ter a perceção da importância do papel dos circuitos turísticos no desenvolvimento dos lugares de memória.
A reflexão que propõe fazer passa pela análise de três exemplos práticos de rotas comerciais portuguesas que deram, hoje, origem a uma nova oportunidade de desenvolvimento económico dos territórios, através de rotas turísticas, como o caso da A Rota da Lã da Covilhã, do Museu da Seda e do Território de Freixo de Espada à Cinta e o pioneirismo do caso do Turismo Industrial de S. João da Madeira.

Alexandra Alves
Mestre em Património, Artes e Turismo Cultural, Licenciada em Gestão do Património Cultural, com especialização em Gestão das Organizações e Projetos Culturais. Investigadora do inED - Centro de Investigação e Inovação em Educação do Porto e Presidente da Sub-Comissão da Norma da Qualidade Portuguesa do Turismo Industrial NP4556/17 e membro-fundador do Grupo Dinamizador da Rede Portuguesa de Turismo Industrial, bem como, Consultora Perita da ISO 13810 - Industrial Tourism. Representa Portugal na ERIH - Rota Europeia do Património Industrial, considerada uma Rota dos itinerários culturais europeus. Começou a sua carreira em 2003 como voluntária no Município de S. João da Madeira, onde, desde então, tem vindo a desempenhar funções relacionadas com Cultura, Educação em Museus, Património Industrial, Desenvolvimento Económico Local e Turismo Industrial. Em 2005, fez parte da equipa responsável pela montagem do Museu da Chapelaria tendo integrado a equipa de restauro desse espólio. Criou e implementou o seu Serviço Educativo, tendo, este serviço, recebido a Menção Honrosa de Melhor Serviço de Extensão Cultural, atribuído pela APOM. Atualmente, desempenha a função de Chefe da Unidade de Turismo do Município de S. João da Madeira.

Imprimir
150 Classifica este artigo:
Sem classificação
Please login or register to post comments.